Dia do 192

Ah, que dia inesquecível esse, dia em que comemorávamos o dia internacional das mulheres e fizemos uma homenagem às damas da Casa da Amizade, pois é lá que estão as maiores representantes de nossa organização rotaria. Dia de terça-feira, as nossas reuniões ainda eram nesses dias e todo mundo fazendo a papagaiada de arrumar flores para fazer e entregar para essas senhoras. Enfim chegou a hora da reunião delas e fizemos a tão esperada homenagem a elas, tiramos fotos e tudo que tínhamos direito.

Como somos pessoas ocupadíssimas, fomos para frente da Casa da Amizade, salinha, cozinha e tantos outros lugares fazer o que sabemos melhor fazíamos, ou seja, nada, a não ser como já disse antes fofocar e falar da vida dos outros (parece até uma novidade).

Já são nove horas da noite e já era hora da dona N arribar o pandeiro. Muito bem, nesse dia a minha amiga BF estava com cólica e eu muito solidário me ofereci para ajudar, já que ela se queixava de dores nas pernas.

Solicitei que ficasse parada, dai a tomei nos braços e fui levando para o carro dela, com a mãe dela morrendo de rir dessa arrumação e quando pensamos que não, quem para do nosso lado oferecendo ajuda?! O carro do Samu com aquele 192 enorme na nossa fuça oferecendo ajuda. Foi aí que a BF entrou em desespero porque estava de saia e não sabia se puxava ela ou tentava se esconder da vergonha pela qual passávamos juntos.

A BF contou o caso ocorrido e logo tomou uma proporção enorme onde eu fiquei conhecido naquele ano por todos que visitavam a casa dela como “menino do Samu” e para que ela foi contar isso, até quem não me conhecia passou a me conhecer, mas uma coisa louca e divertida dessas, só poderia acontecer com a gente mesmo.

Por amizade e com amigos a gente faz tudo ser divertido. Não fuja da vergonha de se divertir, aproveite cada segundo e evento, pois nunca se sabe que caminhos o destino reserva para cada pessoa.