As canções que ouço

Uma das memórias mais presentes em mim como sentido é a auditiva, muitas das músicas que ouço me levam no tempo e revelam lembranças que até achava não possuir mais. A música me faz lembrar com clareza, de momentos já vividos em família, de paqueras no parque, amores de colégio ou aquele lance da faculdade.

A música tem a capacidade de me fazer lembrar aquelas tardes na sala de casa, ouvindo meu pai falando do seu dia, como a de Nelson Gonçalves em Naquela Mesa, assim como Temporada das Flores com meus avôs ouvindo a difusora. Ou Novos Tempos enquanto eu trocava beijos longos e safadinhos com a gatinha no parque. A música é a linguagem universal entre povos e pessoas.

A música tem o poder de desenvolver ainda mais o intelecto das pessoas. Pesquisas afirmam que os músicos têm muito mais neurônios trabalhando do que uma pessoa comum, pois eles movimento mais massa cerebral.

Mais inteligentes ou não, a música tem a capacidade de nos empoderar. Aquele dia em que marcamos de sair e começa a chover, você liga o rádio e ouve Os Seus Botões. A chuva até aparente passar, vocês se sentam próximos, vão se aproximando mais e daí pra frente é partir para o abraço. Quando o espetáculo termina, o som já acabou e o dia amanheceu. Você se levanta amando até o Fica Comigo Essa Noite.

Recordo que no meu tempo de ensino médio e anos iniciais da faculdade, a música ideal para você lançar os olhares para as costelas de nossa existência é a tema do Armageddon - Aerosmith " I don't Wanna Miss A Thing ", com essa não tinha ou ainda tem moça que resista. Claro que um clássico também é bem vindo do Bom Jovi, como It's My Life.

Quase me esqueço dos mais clássicos ainda. Quem não teve uma boy band na sua juventude? Na minha pré-aborrecência tive a fase dos Backstreet Boys – Everybody, quando essa música tocava, era o alerta para verdade ou desafio. Bons tempos de aniversários na Carol, a turma se namorava na maior inocência. Se é que se pode ser inocente com um alerta desses.

O tempo vai passando, as coragens vão passando e dependendo do dia até rola esses atrevimentos, mas só tem rolado chifre musical, que se você não dança na pista com a mina, você dança e cai chupando dedo. Precisamos de um mundo musical como antigamente para os novos momentos. Viva Andrea Bocelli que Vivo por Ella e eu também.

Abaixo vai um pouco dos anos anteriores aos meus e do meu tempo para aqueles momentos do Recordar é Viver.