Pães rústicos: Sindpan investe em capacitação para filiados

0
0
0
s2smodern

Em parceria com SENAI, indústrias panificadoras passarão a oferecer diferencial que está sendo grande tendência no país

No último fim de semana, empresas filiadas ao Sindicato das Indústrias de Panificação do Estado do Acre (Sindpan/AC) passaram por um treinamento para fabricação de pães rústicos, produzidos por meio de fermentação natural. Uma “nova receita antiga” do setor, que agora está voltando com força total ao gosto dos brasileiros. Em parceria com o SENAI/AC, profissionais da área estiveram, nos dias 7 e 8 de julho, na Escola SENAI Cel. Auton Furtado, imersos em um curso de atualização com o chef Halysson Cezar Silva Souza, do Instituto de Panificação e Confeitaria (IDPC), de São Paulo (SP).

De acordo com Abrahão Felício, presidente do Sindpan/AC, a técnica dos pães rústicos será oferecida pelas panificadoras filiadas, tornando-se um diferencial em um mercado tão competitivo. “Estamos falando de um fermento natural – o levain. A massa que usamos tem 15 anos e nunca morre. Na França, por exemplo, eles trabalham com uma massa que tem 150 anos, que resulta numa massa mais grossa, crocante e saborosa”, explica. “A minha intenção é que as padarias sindicalizadas tenham um pão diferenciado. Não tem nenhuma padaria aqui em Rio Branco que ofereça esse produto”, resume.

Segundo o instrutor, o panificador deve estar buscando atualização e conhecimento constantes. “É preciso acompanhar as mudanças. Padeiro não pode viver na mesmice, tem correr atrás de novidades. E os participantes ficaram encantados com a técnica. O aspecto do pão é bem mais bonito, o miolo é mais leve, com aparência de queijo suíço, diferente das massas comuns. Eles viram a diferença”, observou Halysson. “Também participei deste treinamento e foi um trabalho muito bom, de excelência”, avaliou Tarcísio Futerko, instrutor de panificação e confeitaria da Escola SENAI.

A presidente da FIEAC em exercício, Adelaide de Fátima Oliveira, prestigiou o encerramento da capacitação e ficou impressionada com a qualidade e o sabor do “novo velho” produto. “Aparentemente, o futuro da panificação está no passado. É impressionante como uma receita tão antiga está sendo valorizada só agora. Estou muito feliz com o investimento que o Sindpan está fazendo para incentivar melhorias e elevar a competitividade do setor”, parabenizou.