Segurança Pública do Acre identifica e prende grupo armado em Cruzeiro do Sul

0
0
0
s2smodern

Sandro Brito

Após intenso trabalho investigativo, a Polícia Civil do Acre, por meio do Departamento de Inteligência (DI) e núcleo da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (DECCO), identificou e prendeu na madrugada de ontem, sexta-feira, 31, em Cruzeiro do Sul, os autores de vídeo que incita violência.

O vídeo viralizou nas redes sociais e ao tomar conhecimento do conteúdo produzido, a Polícia Civil remeteu o material à perícia dando início ao processo investigativo, que identificou os componentes do bando que foram presos logo em seguida.

Em posse dos mandados cautelares, os agentes renderam o bando em uma residência localizada no bairro Vila Rica. No momento das abordagens os agentes encontraram em posse do grupo três pistolas calibre 380, uma escopeta de repetição calibre 12, munição, além de 81 tabletes de maconha.

Dois integrantes desse mesmo grupo são responsáveis por um assalto a um comércio no município e seis deles são responsáveis pelo roubo à residência de um empresário local. O grupo é composto por duas mulheres, seis homens e um menor e já responde por vários inquéritos policiais e seus membros são acusados de vários crimes que vão desde tráfico de drogas, homicídio, roubo e organização criminosa cometidos na região do Juruá.

“Nós conseguimos prender todo esse grupo que aparece em um vídeo incitando a violência. A população de Cruzeiro do Sul pode ficar tranquila que nós estamos em operação e não descansaremos. Nosso trabalho é devolver a paz e a tranquilidade à sociedade do Acre”, declarou delegado Elton Futigami, responsável pelas prisões.

Ação em Cruzeiro do Sul

Desde de a última quarta-feira, 30, forças policiais ocuparam as ruas de Cruzeiro do Sul em operação que conta com apoio de homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope), militares do 6° Batalhão de Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, Companhia de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (Raio) e agentes da Polícia Civil e departamento de inteligência (DI).

As ações não tem data para acabar e além de todo esse efetivo, tropas do 61° Batalhão de Infantaria de Selva apoiam a fiscalização das rodovias que dão acesso à região do Juruá com abordagens e vistorias a veículos.

O apoio é resultado de acordo entre o governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública, junto à 17ª Brigada de Infantaria de Selva que se uniu às forças de segurança do Acre na promoção da cultura de paz na região.

Até o fechamento desta edição, as polícias já haviam prendido 27 pessoas, acusadas de diversos crimes como assalto, homicídio e organização criminosa. Também foram apreendidas três pistolas, modelo 380, municiadas e uma escopeta de repetição calibre 12 além de recuperar produtos subtraídos de comércio e residências.

Trabalho contínuo

O governo do Estado, por meio das Polícias Civil e Militar, tem atuado firmemente no combate ao crime em todo o estado, para promover uma cultura de paz tanto na capital, quanto no interior. As forças de segurança tem realizado diversas ações nos municípios, seguindo as diretrizes do planejamento estratégico de combate à criminalidade da Segurança Pública do Acre.

O Estado e suas forças de segurança apontam que o principal causador desses crimes é o narcotráfico e a omissão do governo Federal no controle das fronteiras, por onde passam as drogas comercializadas no território brasileiro. Porém, apesar da negligência da União no fortalecimento das instituições federais, o Exército Brasileiro tem sido parceiro do governo do Estado na manutenção da paz.

O governador Tião Viana vem, nos últimos anos, constantemente cobrando as ações necessárias da União para o combate ao tráfico de drogas nos rios, estradas e ramais que dão acesso aos países Peru e Bolívia.

O processo de interiorização da segurança também tem trazido resultados positivos, a exemplo da instalação das delegacias de combate ao crime organizado e de repressão a entorpecentes em Cruzeiro do Sul.

Só em março e abril deste ano, a Polícia Civil apreendeu mais de 170 quilos de drogas na região, de onde os rios seguem para o Rio Solimões, no Amazonas, rota historicamente usada para o tráfico e motivo de disputa entre as organizações criminosas.

Já a Polícia Militar também levou a Companhia Raio para Sena Madureira, Cruzeiro do Sul e Brasileia, fortalecendo as ações nos municípios.