Presidente da Comissão de Ética da Câmara, Emerson Jarude não descarta cassação de Juruna

0
0
0
s2smodern

Com a notícia do pedido de prisão do vereador José Carlos dos Santos Lima, conhecido como Juruna, o presidente da Comissão de Ética da Câmara Municipal de Rio Branco, Emerson Jarude (PSL), acredita que seja inevitável a cassação do vereador.

Juruna foi acusado de receber propina para auxiliar vendas ilegais de lotes do complexo de camelôs da Capital, e condenado a mais de 9 anos de prisão.

Jarude explica que o artigo 14 do Código de Ética da Câmara prevê a perda do mandato em caso de condenação criminal, o que se encaixa no caso do vereador. Juruna foi condenado em 2ª instância entre outros crimes por falsidade ideológica, corrupção ativa, peculato e tráfico de influência.

Através do encaminhamento de um requerimento pedindo a cassação do vereador, a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar irá iniciar o processo de cassação.  Apesar de Juruna e Emerson Jarude fazerem parte do mesmo partido, o Partido Social Liberal (PSL), Jarude diz que isso não vai influenciar no cumprimento da lei.

“Independentemente de sermos do mesmo partido, a lei vale para todos. Vamos dar encaminhamento e fazer valer o Regimento Interno da Câmara Municipal”, diz.

Assessoria