Roberto Duarte diz que segurança leva um GAME OVER

O deputado estadual Roberto Duarte (MDB) utilizou suas redes sociais para falar a respeito da onde de violência e assassinatos que ocorreram na capitam nesses primeiros dias de janeiro deste ano.

“Em meio a uma onda de escalada da violência no Acre, o governador Gladson Cameli precisa assumir que não dá mais conta de conter a violência e solicitar imediatamente Intervenção Federal na Segurança Pública do Estado do Acre”, diz Duarte.

Em 2019, o Governo do Estado nomeou o Secretário de Segurança e Justiça, Coronel Paulo César, que afirmou que precisava apenas de 10 dias para devolver a sensação de segurança aos acreanos. Apresentaram números que fundamentava uma suposta redução da violência por diversas vezes, mas infelizmente, o que pudemos acompanhar foi a mudança de comando da Polícia Militar 3 vezes e a troca do Delegado Geral de Polícia Civil por 2 vezes, e mesmo assim, a situação só piorou. Destaca o parlamentar.

O deputado usou seu perfil para relatar que cerca de 30 pessoas foram assassinadas, de forma brutal, somente nos primeiros 18 dias de 2020 e o crime organizado praticamente tomou o controle dos municípios.

“Por tudo isso, não vejo mais saída, senão, solicitar Intervenção Federal na Segurança Pública do Acre, pois durante o período de intervenção, as Forças Armadas poderão realizar uma série de ações para coibir o crime organizado e promover a segurança no Estado, assim como foi feito no Rio de Janeiro”, relembra.

A Constituição prevê o uso do instrumento de intervenção nas seguintes situações: para manter a integridade nacional, para repelir invasão estrangeira ou de uma unidade federativa em outra, para pôr termo a um grave comprometimento da ordem pública e para reorganizar as finanças de uma cidade.

“Precisamos urgentemente do Exército e da Força Nacional de Segurança Pública nas ruas dos bairros das nossas cidades. Precisamos trazer de volta à nossa população a sensação de segurança que já não temos há muitos e muitos anos”, finaliza Roberto.